sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

FOTOS

ARQUITETANDO EM 2005
UM DIA NUBLADO NA ZONA LESTE, SÃO PAULO,SP
MEU CANTO

.

EU, HOJE..

OUTRA DE OUTRO SEMESTRE EM 1991, EM TECHNICOLOR..RS




MAIS UMA DA FAUUBC..
TEMPOS DA FACULDADE DE ARQUITETURA - UNIVERSIDADE BRAZ CUBAS - MOGI DAS CRUZES(1992)

POEMAS (Luz Própria, etc..)



LUZ PRÓPRIA

Nos instantes que me permito ficar em silêncio,
posso dialogar comigo sem receio ou dúvida;
Entendo melhor o que é liberdade,
E livre, posso fazer livre também a quem amo
de verdade;

Gostando de mim,
Posso gostar dos outros sem condições;
Tranquilo em meu íntimo,
Trago paz aos corações;
Posso tudo fazer nesta fé ativa,
Transformando cada passo,
em oração viva;

Sublimando minha emoção,
em luz que segue meus instantes,
fazendo do pouco que tenho,
Bem mais do que o bastante.

QUINTESSÊNCIA


Queria ter da luz do dia,
um som que pudesse definí-lo, 
sem precisar de palavras;
Mas,
Que viesse direto ao encontro de minha alma,
Abrandando medos e dúvidas,
Que me fazem tantas vezes confuso;

Queria todas as cores de uma melodia calma,
para dar aos que não ouvem, 
a chance de sentir,
A harmonia mágica que vem da eterna busca
dos que captam do infinito o puro amor sem forma;
Na eterna sintonia da paz sem medo,
Seguindo o coração sem risco de desgosto;

Pode ser que demore a conseguir tal meta,
mas sei que qualquer que seja a direção que sigo,
estou mais perto de atingí-la, 
Posto que em tudo está,
E o todo é.

A CHAMA QUE ARDE


Almas,
Calmaria que perpassa as folhas secas,
Abraço lento e forte,
que traz à mente em ondas calmas,
Mensagens de emoções distantes,
que prosseguem intensas;

Permanecem, posto que é o amor,
Porém, 
mudaram de plano por questão de não se saber,
levar à mente forte o sonho e o calor,
Que constroem em almas nobres 
o verdadeiro querer;

Chama que arde,
Elevando ao infinito o eterno canto,
Nunca tão tarde, que não faça a solidão fugir,
vertendo em pranto, sem alarde.

A ROSA NA NEBLINA


Místico tom de presença,
invade o trecho azul da serra;
Toca o véu fluído da cachoeira,
oculta em meio às matas;
Não existe tempo, neste canto eterno da terra,
Apenas o canto dos instantes rumo ao nada;

As brumas inocentes cultuam a princesa,
que perfuma o silêncio;
Envolta em luz de rosa vermelha,
que brinca em folhas nuas;
Bebem travessas o orvalho que ao chão esvai,
qual pensamento;
E em sonho eterno faz real minha canção, e continua;

Ela procura esperançosa a luz da lua cheia,
E aspira a sorrir a brisa do oceano;
E assim em luz, desenha um coração sobre a areia,
E joga ao vento qualquer razão de haver engano;

Canto uma canção que fale da gente,
Sigo por um ponto que marquei no além,
Olho os olhos dela e vi que, realmente,
Nunca vi tão fundo, o que o mundo dela contém;

A rosa na neblina,
O sonho em tom distante,
O caminho não termina,
O eterno é o bastante.

CIDADE FUGAZ



Cidade....................
Traços de luz,
marcados num Blues,
Oitavas de vozes que clamam o medo,
medo de viver enfrentando o erro,
Equilíbrio e busca sem olhos,
Na forma de um choro, nas veias, nos poros;

Saudade e nostalgia,
Cosmo e indivíduo se apertando nas luzes;
As sombras das catedrais escondem as cruzes,
Criando na mente estranha harmonia;

Horizontes sem forma,
Leis sem  respeito;
Fé que deforma,
e explode no peito;

E eu te busco no caminho de casa, 
dando ao vazio, um motivo de espera;
E minha intuição cria asas.
para saber onde estás - e o vazio já era;

Cidade..........
De todas as idades,
De mundos e medos,
História e segredo;
caminhos cruzados,
Sentidos de um sonho fugaz, sem compasso.

A CADA PASSO


Cada instante de medo,
me ensina sobre a coragem;
Cada tempo de ódio,
me adverte sobre o amor que sinto;
Um minuto de dor,
Me traz os primeiros raios da alegria;

Confusão e harmonia,
Princípios que ligam na ordem do cosmos;
Opostos que se atraem sob o caos aparente;

Minha visão sem respostas,
em palavras nascentes;
Da mente sob a luz,
do eterno canto em silêncio,
Da paz presente.

ILUMINAÇÃO


Vejo a estrada ante aos meus passos lentos,
E percebo que ela por si só já é um objetivo
que,
Atingi ao longo dos primeiros instantes,
nos quais me percebi como realmente sou;

Eterno em essência e sonhos,
Trabalhando não por ambição, mas
Por ideais de evolução em verdade,
Recebendo o salário da paz de consciência,
Por fazer tudo o que posso,
por fim, bem mais do que apenas teria a fazer;

Sendo eu assim,
Escravo de minha própria cegueira,
perante o universo livre, que habito,
E em meu interior também habita,
Mas nem sempre soube existir;

Passo então a viver despertado 
para os valores verdadeiros,
Do meu espírito, da vida, enfim.

BRUMA


Sereno.....
É o ato de tocar levemente meu rosto,
Como que retribuindo ao vento frio,
A saudação inocente que anuncia a madrugada;

E em minha ronda inconsciente,
Que vaga calma por entre luzes sem dono,
Apenas o acorde suave
do silêncio,
Na escala viva dos sonhos de um homem...

No espaço em um coração, 
Compasso em forma de oração,

Estado de luz eterna, 
Cósmico,
Sensível,
Em paz.

INSTANTE DE REPOUSO


Assaltam-me incertezas num instante de conflitos,
Apesar de todas as reflexões e embates simulados;
Apesar de tantas horas mergulhado em tratados;

Poem-me o coração no impasse injusto,
Sabem muito bem o quanto dependo, 
Do amor e carinhos seus, para melhor ir crescendo;

Digo além de tudo, que acredito ainda,
Em tudo que segui, e sigo descobrindo,
Em toda a eternidade, nosso amor - tão lindo!

Fora das razões e ilusões alheias,
(Se bem que nesta vida, nunca somos nós)
Apenas quero a cada um, seu próprio destino;
Unimo-nos em força, arbítrio e caminho;

Creio no progresso, e no presente livre,
E sei que do passado, as dores são ensinos,
Que tornam mais claros os sonhos e certezas,
E faz da alma nobre, o amor em fortaleza;

Não vale a força bruta à alma velha e serena,
Somente vence o mal, quem com amor desvenda,
O que ora é mistério, enigma ou lenda,
Mostrando o equilíbrio, seguindo à natureza;

Superior é a bondade que atinge sem distinção;
O coração do sábio, tanto quanto do simplório;
E nada que existe, existe sem razão,
Por isso a verdade não teme o ilusório.

FIAT LUX



Olho a lua em compasso de espera,
Vejo instantes em que era diferente
estar contigo;

Hoje penso que não era
tão difícil ter seu beijo realmente,
Então eu sigo;

Sigo o vento e este instante,
Escorre entre os dedos, sem medida;
Sou apenas leve a ter seu toque, e então eu sonho,
Em teu silêncio encontro abrigo em teu abraço.

Aceito a luz que em ti encerra,
Algum passado que te fez alguém distante,
de onde venho;

E aprendi que amar a ti não se compara,
Ao simples toque de paixão - vai mais adiante;
É como o cosmos a explodir, e nunca para;
É todo o rumo do eterno num instante...

POUSO DE ALMA


Simples e claro como um pássaro sobre um fio,
Queria estar sobre o perigo da morte,
sem saber que esta me espreita;
Uma vez que, o espaço que preciso
não é mais do que um fio;

E dele, só quero o suficiente para pousar,
e ficar contemplando o triste mundo humano;

As pessoas buscando seu equilíbrio,
As pessoas em seus passos complicados,
Buscando o ouro,
Quando precisam de luz;
Buscando a competição,
Quando precisam de amor;

Pedindo,
Quando precisam dar;
Buscando um deus no céu,
Quando não percebem seu Deus interno;

Julgando a ação,
Desprezando o coração;

Acho que o inferno, está em cada um,
Na vida, em busca de valores falsos,
Além dela, percebendo tardiamente o engano cometido;
Aprendendo na simplicidade e na calma,
A gozar dos eternos valores da alma...

UTOPIA



Não podendo me ouvir
(se teu nome, eu gritasse neste instante)
Calo-me na saudade serena,
Que me impede os passos;

Pois, se corresse este instante solitário,
Me perderia por certo, num impulso impensado;
perderia no espaço,
meus sonhos claros, 
Meus doces instantes,
Em que te encontrava realmente, 
Acalentando meu espírito febrio;

Em teus toques brandos,
Em silêncio segue o tom de meus anseios,
Iluminando o plano vivo
de nosso instante eterno,
Nossa paz sem medo.

FUGA



Estrela imaginária que vaga a céu aberto,
Chamando nossa atenção;
Motivo de silêncio,
Efeito de paixão sem limites...

O medo de te perder,
Dá preferência a se perder o compasso,
Do pulsar de meus princípios.
Queimando aos poucos sonhos proibidos;
te beijo pelo vento, e olho os meus passos,
Esperando por você.

A saudade que fica é a certeza,
de que nunca haverá um fim no caminho;
Sempre descobrindo em nossa essência a beleza,
Transformando nosso encanto em carinho;

Em meio ao sonho de um instante,
Ensaio saídas para o prêmio de um abraço;
Conseguindo, te proponho um toque amante,
E partimos aos olhos fixos do espaço . 

TRANSMUTAÇÃO



Canto  um canto que combine minha mágoa,
À força intensa do perdão;
Chamo pelas nuvens negras da vingança,
Acenando com meu ramo de palmeira que faz sombra de perdão.
Clamo pelo refúgio negro do medo que protege,
Dando minha face ao tapa da vida que, ao certo e ao errado rege.
Ando pela estrada viva a cada dia, sem temer a noite, 
Fazendo o aconchego nos sonhos, afago do açoite. 

DEVANEIO


Teu  toque;
Um ponto intenso em meus sentidos,
som que invade os meus ouvidos;
canção sem nexo,
côncavo e convexo,
paixão.
..........................................................
Solta mansidão que faz o dia
sonho de criança em tom de maré calma,
flocos de ilusão que voa vadia
e dá um tempo no espaço de minhšlma;

Eu te amo,
em qualquer tempo, 
sobretudo em meus braços;
 
Eu te chamo,  
em pensamento,  
vejo o mundo do espaço;

Um instante na essência do eterno -   
Lá eu fiz a nossa casa; 
vou pra lá por sobre a asas  
da emoção sem rumo certo.......

A CADA PASSO


Cada instante de medo, 
Me ensina sobre a coragem;
Cada instante de ódio,
Me adverte sobre o amor que sinto;

Um minuto de dor,
Me traz os primeiros raios de alegria;
Confusão e harmonia,
Princípios que se ligam na ordem do cosmos.

Minha visão sem respostas,
Em palavras nascentes,
Da mente sob a luz, 
Do eterno canto em silêncio,
Da paz presente.....

CAMINHO


Sou  neste instante,
Paz, espírito, pensamento livre,
Pluma leve, solta ao sabor do vento, sigo por infinitos momentos;

Sou o presente em ritmo mutante, 
Não conheço o nada, posto que sou tudo;
E tudo é mais que o mundo e o sol distante,
É apenas o ser nada, apenas sonho errante;

Sou nas mãos do eterno a areia que escorre,
Sou a sementinha que na fenda morre;
Morro para o mundo, e logo sou o broto,
Subo em busca do cosmos por raízes fortes.

Abro em flor, perfume espalho pelo campo,
Crio em minha volta a fonte de harmonia;

Toco o viajor nas mãos em cortesia,
Doce mel nos lábios, sou sabor e encontro;

Sou enfim o sonho de criança livre, 
Sou tudo de bom, que em minha essência vive;
Sou o diamante oculto em meu escuro,
Que se fará dia, pois ainda é futuro. 

CERTO INSTANTE


Pensamento.........
Tempo sem retorno,
corre sem transtorno,
faz que vem, mas fica;
torna ao nada quando se toca que a nada  
levou...
E penso noutro tempo sem pensar que foi.....

OUTRO DIA


Amanhece......
E o tempo fez segredo do instante fugaz,
que deu ao tempo seu valor mais certo;
Ter alguém por perto,
ser um toque incerto,
no corpo em branco de um silêncio,
sem nome,
em paz.......

DESPERTAR


Te procuro nas manhãs sem sonhos,
pelas dobras do meu cobertor;
e te chamo nas primeiras frases
que a memória de algum sonho herdou;

te abraço em meu desespero,
por pensar no tanto a se fazer;
e me lembro de qualquer momento
que me leve a gostar de viver......

E tudo vai de encontro ao teu olhar amigo,
e o silêncio torna fácil perceber-te aqui;
mais que querer bem, eu quero estar contigo
e fazer deste mundo
algo mais
(e na verdade tudo)
que faça a gente ter
menos medo de sorrir;

E desperto para mais um dia,
e ele vai ser bom porquê você está........

PRECE COM A NATUREZA

  
Queremos ter a força das rochas,
Queremos ter a liberdade dos ventos,
Queremos ter a beleza das flores,
Queremos ter a mansidão das águas,
Queremos ter o poder do fogo;

Os séculos fazem grande o espírito,
Cada vez que aumenta sua comunhão com o Universo;

Somos sonhos e ações no Amor imersos, E o Amor, és tu, ó DEUS, DEUSA, FORÇA CRIADORA DE TUDO!

E reconhecidos de que em tudo e em todos está,
Buscamos e caminhamos neste sentido eterno;

Perdemos nossa pureza e nossa inocência,
Para recuperarmos pela consciência;

Sê portanto ó Pai,

Propício a nós que ainda somos pequenos,
porém,
Cientes que somos de nossa busca,
Iluminai a noite escura de nossa Fé,
Qual archote na cruzada santa,
Dissipando-nos o medo e a dúvida, Para que possamos participar da grande obra, que  ergues no infinito em tom de harmonia;

Consonantes e eternos, Faz com que possamos operar cientes vossos  milagres,
Contidos em cada instante;

Pois tudo é vosso pensamento,
Tudo é vossa vontade,
A essência de nossa felicidade,
Que move céus, estrelas e séculos.

Assim seja!!! 

DISCURSO NEO-TAOÍSTA (2)

          
                As dúvidas são esclarecidas; 
         As complexidades são simplificadas. 
             Montes e vales são transpostos; 
                   A missão é cumprida.  

DISCURSO NEO - TAOÍSTA (1)

  

O ofuscamento e a cegueira são extremos da visão;
O equilíbrio está na clareza;
A dor e a anestesia são extremos do tato;
O equilíbrio está no toque;
O barulho e a monotonia são extremos da audição;
O equilíbrio é a harmonia;
O enjoativo e o picante, são extremos do paladar;
O equilíbrio está na suavidade;
O fétido e o inodoro são extremos do olfato;
O equilíbrio está no frescor.

CRÔNICAS (Trabalhar, etc)




TRABALHAR


                                Tudo no universo é dinâmico, tudo trabalha; não há uma micro-partícula sequer que seja estática - do átomo à galáxia - tudo vibra, irradia, muda, enfim, evolui. Da bactéria ao anjo, da fagulha à estrela de maior grandeza que possa existir, tudo é importante para tudo. Como seres dotados de razão, inteligência e criatividade, fomos criados e moldados de modo a podermos agir, inventar, melhorar tudo em nossa volta; ainda que o estado de coisas prove o contrário, o homem ainda tem em si o germe da evolução ativa, e transforma o mundo.....é bem certo que não tem sido cem por cento para melhor, pois a pretexto de tecnologia, ele esgota os recursos naturais, polui, desmata e mata. No entanto, ainda pode-se pensar que o homem tenta fazer, ainda que comecem a surgir os efeitos colaterais de sua desenfreada busca pelo melhor, ainda que em detrimento de si mesmo.                    
                                 Por outro lado, trabalhar é nos seres de todo tipo, animados tanto quanto inanimados, o atributo da FORÇA CRIADORA que age através do que é, do que existe; trabalhar para manter a casa firme é atributo do tijolo; trabalhar para a planta crescer e os seres habitarem é atributo da terra; trabalhar para transformar tudo em tudo que seja necessário (ou até mesmo extremamente inútil) é atributo do homem. Desta forma, a palavra trabalhar deve ser objeto de meditação profunda, pois até fazendo o errado é estar trabalhando; trabalhar no que torna o mundo e o próprio trabalhador melhor, é ainda a melhor e mais sincera oração, uma vez que esta FORÇA CRIADORA sempre foi desde os primeiros tempos objeto de adoração das mais diversas formas, todas válidas. 
                                 Trabalhar pode ser tentar, ousar, errar, persistir, acertar, começar, continuar, por em prática, aprimorar, enfim, resume-se em atitude. Aja.
  

OS MUNDOS

  
                          Vivemos num mundo que comporta diversos mundos; cada um de nós vive um mundo, ou num mundo, e encontramos outras pessoas cujo mundo assemelha-se, porém não é igual ao nosso; agrupamo-nos então, conforme a afinidade de mundos que forma assim um mundo. Desta forma, cada indivíduo é um mundo e forma com outros um mundo distinto.                                              . 
                           É interessante observar que desta maneira, tendemos a criar fronteiras (e até barreiras) que tanto nos impedem de sairmos dele, quanto outros de entrarem, seja porque não se gosta do mesmo tipo de música, não se torce para o mesmo time de futebol, não se mora no mesmo bairro ou então porque não se tem o mesmo poder aquisitivo - isto sem mencionarmos questões de raça, credo, postura política e orientação sexual. Não é crime ter preferências, não é errado escolher (ou ter consciência do) seu   lugar, tampouco selecionarmos com       quem andar; penso que, o que realmente é ruim na       vida é a falsa idéia  de superioridade, a discriminação e  as      conseqüências como conflitos, injustiças e falta de comunicação. Isso semeia a mais venenosa ignorância e torna limitada a visão da vida     
                           É a diferença que educa os sentidos dos seres e a todos ensina; sabedoria, conhecimento e inteligência, tornam-se possíveis e praticáveis somente graças à diversidade. 
                           Outra coisa muito importante na vida, é reconhecermos a existência de falsos mundos, oriundos de situações isoladas a partir das quais tomamos por algo que ocorre no geral; assim, "mol damos" o mundo, adotamos um tipo de "óculos" através do qual vemos o mundo, e isto torna-se a crença em tal ou qual mundo - um mundo bom ou cruel, uma vida bela ou ruim, pessoas boas ou más, e assim passamos a crer, quando negativamente, e esta última opção predomina, que a vida é dura, que dinheiro é difícil de ganhar, e ter muito é pecado, que Deus ajuda somente a quem madruga, e estas crenças atávicas são nefastas, e colocam as pessoas em uma posição medíocre, passiva, muito aquém de seus potenciais.       Para mudarmos nossa visão de mundo, temos que mudar as fontes que nos propiciam estas visões: o que assistimos na televisão, que tipo de música ouvimos, os lugares que freqüentamos, as pessoas com quem convivemos, do que conversamos, o que pensamos e o que perseguimos....     
                             É preciso perguntar para si, em que mundo acreditamos? Dependendo da resposta, devemos começar a mudar nossos paradigmas, e termos em mente que melhorar o mundo que chamamos Terra,  começa por melhorarmos a nós mesmos primeiramente, posto que somos um mundo, e bem complexo!                       .  
                             Mudarmos o mundo, mais do que eliminarmos diferenças, é eliminarmos o medo delas; mais que tolerarmos, é compreendermos e assim respeitarmos pela simples razão de que cada um de nós tem o direito de ser diferente.                .  
                  Finalmente, entender os infinitos mundos e interagir é o verdadeiro culto à fraternidade, é a plena comunicação que traz todo o tipo de respeito ao semelhante , à natureza, enfim a todos os seres e
coisas.  
                             O que prova a igualdade entre os seres é o direito de ser diferente. 

ESCADAS DA SÉ



             As escadas da Sé são palcos nus que  mostram pessoas as mais diversas;   turistas, sem-teto, distribuidores de adesivo de Nossa Senhora, pessoas  que cansadas de procurar emprego, não sentem-se tão dignas de entrar na casa de  Deus, e ficam entre o mundo profano e o mundo onde tudo falta, inclusive quem  os ampare e diga o que fazer. O boliviano que vende CDs de música Andina, o  homem que chama atenção com o bonequinho filiforme que foi batizado de "Chiquinho", as ciganas, "buenas dichas" que pescam mãos ingênuas para dizer  coisas que a todos preocupam, e nunca foram percebidas; o homem que comanda  horrendas mãos de borracha, como aquela da Família Adams, pessoas que assistem  o vai e vem na praça, mais adiante o pregador eloqüente, o homem que estala seu  chicote, pula em um aro com facas em sua borda, às vezes, o corre-corre dos  camelôs perseguidos por homens de jaleco amarelo assessorados por homens de  azul, guardas municipais que tornam em segundos o centro em verdadeira pista de maratona com carregamento de diversas caixas, bancas, sacos, gritos e sinais que mostram que a cidade pulsa ao tom da guerra entre o certo e o errado, o legal e o clandestino, e assim a cidade se forma a cada instante, se transforma em palco de dança, dor e sangue que tinge os passeios na noite fria, obra de covardes dissimulados, seres sem alma, duais e comprados por quem não aceite dividir seu espaço com quem já não tem sequer espaço.
             As escadas da Sé, são palcos nus da falta de amor, da falta de consciência coletiva que deveria perceber que aqueles que morreram nas madrugadas do holocausto, fazem falta; fazem falta porquê quanto menos mendigos vagam por aí, menos se pode perceber que ainda se exclui, abandona, ignora e desvia de pessoas que se deixaram levar por adversidades; o "Pantera", e tantos outros são os atores de uma peça que nunca sai de cartaz, ainda que se mudem os atores, mesmo a direção, que varia conforme a ideologia e até mesmo a moda do  momento -    a moda, agora é matar quem não pode se defender, e o único erro que cometeram, foi o de escolher a calçada fria como lar. 

COMO VIVER BEM



       Na vida de relação é que crescemos. Assim, temos a certeza  de que somos seres responsáveis por tudo, e tudo é responsável por nós; temos  conflitos e acordos, preocupações e soluções, dor e consolo, enfim para tudo, o  seu oposto; não podemos ensinar sobre o bem sem citarmos o mal, não podemos  perceber o dia sem que a noite venha-nos à mente, logo, temos que administrar a  dualidade, trilhar um caminho intermediário, e isso é uma tarefa árdua; ele, que não é isento de passar pelo que todos passam, sente que viver bem é  procurar harmonizar-se com as coisas, curvar-se ao que não pode ser mudado - não resistir, não praguejar - se tem que mudar, não é o esbravejar nem o murro  na mesa que vai ser o primeiro e efetivo passo.   Viver bem é perceber, deixar que seja o que é, respeitar e seguir adiante; é dar se se tem para dar; calar-se se nada se tem a dizer, apaziguar-se se não há o que se possa fazer. É meditar sobre o que se desenrola perante si, e ver em tudo um milagre, uma mensagem de vida e a certeza de que tudo flui, segue seu curso.
       Viver  bem é falar a verdade, fazer aquilo que se prometeu, não fazer o que não se tem  condições de ser feito; é não se esconder, não confundir ter medo com o medo  ter a pessoa; é sempre estar aberto às coisas na vida de relação, não ter medo  de errar, acertar e cumprir metas sem alarde, entender que já vivemos na  eternidade, o que ocorre é que as coisas mudam em nosso entorno e em nós  mesmos.
Viver bem é entender que "todo dia é dia de viver", como já diz a canção. 

UM CONTO PAULISTANO



                         Era um dia como outro qualquer.  Caminhei até a estação São Bento, subi até a rua do mesmo nome; segui e então já havia chegado na Praça do Patriarca, com sua gigantesca e incoerente cobertura metálica recentemente construída no quadrilátero , e de tão incoerente que é, a própria estátua do homenageado dá as costas como que dotada de sentimento.  Logo chegando ao Viaduto do Chá, embalado pelo repente que ressoava do vale, de repente fitei o prédio do Shopping Light, que outrora fora a sede da Eletropaulo; olhei o prédio que há alguns anos fora o badalado Mappin, depois Extra-Mappin e hoje, curiosamente, servia de concha acústica para um cantor-pastor anônimo, que nas portas do prédio, entoava cantos eivados de emoção e louvor . Vi  pessoas indo, vindo, atravessando, vendendo, comprando, lendo sorte sob tendas multicores ou simples guarda-sóis puídos, enfim pessoas buscando, cada uma bem sabe o que, ou então buscando o que não sabem, prédios, pessoas,   carros e sons, tudo mudando; nada é permanente.   Apenas o Municipal, pioneiro teatro que neste espaço da cidade, fitava imóvel tudo ao seu redor mudar, desde as pessoas que passam, até o nome de seus vizinhos, e neste instante éramos dois a pensar o que seria daqui a pouco.  
Então   voltei , segui até a Catedral da Sé, e de sua escadaria, após fitar por minutos a fio a pulsação árida de uma tarde de um dia qualquer, recitei  mentalmente um misto de prece com frase pop   - refrão de música bairrista:      "São Paulo, sua alma de pedra não vive de sangue; São Paulo, seu grito não serve neste surdo espanque punk....   Você precisa parar..."
    Vi, ouvi, senti a pulsação de São Paulo nas pessoas, entendi que tudo forma um imenso organismo que a propósito necessita há muito de quem dele cuide; senti que sou tudo e tudo é eu.......        Como um ser gigantesco a me desafiar os sentidos, o movimento que se desenvolvia freneticamente tentava fazer com que me sentisse culpado por estar assim - observando e não integrando a massa que mais parecia inconsciente que dotada de vontade; senti que era puxado pelo conjunto, seduzido pelo pudor, e então percebi que podia fazer minha escolha - havia vencido assim, a ilusão de ser comum, ainda que não fosse diferente de ninguém.
       Era um dia como um dia qualquer, em um ano qualquer, e eu, uma pessoa como outra qualquer neste dia, e a partir deste dia, nunca mais acordei da mesma forma, nunca mais me comportei da mesma forma; hoje sinto que tudo é interdependente, impermanente, e mais que tudo, uma única coisa - a Vida.
    Neste dia, passei a ter uma nova visão de vida.

AS PESSOAS E SUAS BUSCAS



Sempre tive como hábito observar as pessoas, tanto nos  ônibus, trens e automóveis, quanto nas ruas, estabelecimentos os mais diversos,  entretenimentos e recolhimento. Muitas vezes cruzei e cruzo com pessoas  conhecidas e, percebendo que elas estão absortas em seus pensamentos, não as  abordo; espero que me notem, caso contrário as deixo seguir. 
Penso que cada ser é um mundo em particular, e não é  sempre que se deve interferir no curso deste mundo. Observo as pessoas  embarcando, desembarcando, entrando, saindo, dançando, bebendo, rindo, enfim,  vivendo e sempre percebe que, basicamente as pessoas buscam seu equilíbrio na  sociedade, buscam fugir do que é ruim, triste, chato ou dolorido; percebo que  todos temos o desejo de não sofrer, não termos trabalho, temos instintivamente  buscado meios de atingir algo mais que simplesmente existir; criamos nossos "alter egos", elegemos ídolos, deuses e posturas, os cultuamos, defendemos e  até nos anulamos para não estarmos conosco mesmos, porém no fim, sempre há a  Segunda-Feira, o compromisso, os aborrecimentos, e vivemos neste círculo (não  importa se vicioso ou virtuoso) o que tende a nos embotar uma percepção maior  do que somos e podemos. Percebo que vivemos em um plano físico, regido por leis e temos que aceitá-las, pois  aqui é uma grande escola e como tal, se aprendemos bem a lidar com os seres,  coisas e situações, se acreditamos em um mundo melhor começando a melhorar a  nós como mundos à parte, "passamos de ano" e vamos para outro e assim vai;  então, transcendemos idéias, grupos e atos nos tornando conectados com tudo o  que há e entendemos que há somente o eterno, e o eterno é uma sucessão de  instantes e cada instante dever ser bem vivido pois nada há a atingir, só há o  caminho e seu sabor; então, percebendo que assim é, gosto de ver cada coisa e  situação com olhos curiosos, como se fosse tudo a primeira vez, e assim é, logo  não imponho pontos de vista, não tomo posturas, não discuto - converso, permuto,  ouço e respeito - gosto de viver,  não tenho medo nem de ter medo, penso que  todos e tudo estão aqui para acertar, para seguir em  frente, logo cada coisa e cada ser segue seu processo e isso é bom - isso é  vida.  Como vida, tudo é movimento, e tudo na vida das  pessoas é causa e efeito; à medida que nos tornamos conscientes de tudo, melhor  escolhemos e melhor vivemos, pois à medida em que a vida melhora, as pessoas melhoram,  tudo melhora em torno das pessoas e invariavelmente as coisas tendem a ser mais  simples - as pessoas simplificam-se e se tornam acessíveis - ocorre a  verdadeira comunicação, pois todos se põem em comum a todos. Contudo, o estado  de coisas que vemos nos tira totalmente a certeza de que isso esteja próximo, e  isso porque as pessoas não pensam por si, não sentem as coisas por si e isso  torna tudo uma busca doentia por aquilo que as faz melhores aos olhos dos  outros e não as conecta consigo mesmas.       Sempre  tive para mim que não sou um "out-door" ambulante; marcas, comportamentos e  até mesmo palavras de moda não me atraem - eu sempre as examino e vejo se dizem  realmente o que tem a dizer - e se nada lhe dizem,melhor é que fiquem no silêncio;  se não levam a lugar nenhum em sua busca, as deixo onde estão, fora de meu  universo. O homem no fim, diz aquilo que busca, é aquilo que  persegue, e muitas vezes não se dá conta disso.                       . 

AS CRENÇAS


                  Somos o que cremos  ser. Vivemos conforme nossas crenças. Nossas crenças podem nos levar a algum  lugar ou podem nos matar, e pior ainda, matar relacionamentos, oportunidades,  podem nos anular, e ainda, nos tornar alvos fáceis de manipuladores de todos os  tipos.
                         Se cremos que a vida é difícil, que as pessoas são ruins , que tudo vai de mal  a pior, e que antigamente tudo era melhor e mais fácil, inserimo-nos então na  limitação, no amargor, na  nostalgia torturante (a nós mesmos e aos outros) , na  solidão e na depressão. E se passarmos a crer de forma contrária a isso tudo? E se quisermos melhorar o mundo em torno de nós? E se quisermos que assim seja,  começando por mudar nosso mundo? A primeira conseqüência, acredito eu, será  então termos sérias dúvidas sobre tudo o que temos ouvido e acreditado ao longo  destes anos, passaremos a ter outra visão sobre a vida, as pessoas e o tempo  presente.
                           Para  ingressarmos em uma melhor categoria de mundo, temos que reformular o modo como  cremos na vida como um todo, a vida que vivemos, o caminho que seguimos, enfim,  o lugar que ocupamos aqui, pois independentemente de como cremos, somente nós  estaremos conosco na eternidade, e no fim , trata-se de uma questão de  sintonia, e à medida em que sublimamos nossos pensamentos, ações e por fim  nossas crenças, somos atraídos para um mundo melhor, e isso não depende  necessariamente de  morrermos  para este, pois é aqui que começa o melhor; atraímos pessoas diferentes,  situações diferentes, oportunidades diferentes, e vivemos em um mundo melhor  aqui mesmo, ainda que não deixemos de perceber o bem e o mal, o positivo e o  negativo; aprendemos o caminho do meio, aprendemos a administrar a vida,  e  quando for a hora de partir, apenas posso dizer que vamos para algo melhor,  pois estamos então, sintonizados com o melhor.


                              Não  se trata das coisas mudarem em torno de nós, mas em  mudarmos o modo encarar tudo o que existe e acontece; assim, seremos aprovados  neste estágio, e vamos para o seguinte, e assim por diante. 
                          Nós chegamos aonde nossas crenças nos permitem chegar, e à medida em que somos  abertos à mudança, nossa crença evolui e torna-se vivência, assim, crescemos e  seguimos. 

AMOR, CIDADE, PESSOAS E SITUAÇÕES



Sempre tive uma  forma muito interessante de ver e viver a cidade onde mora; tendo nascido em  cidade rica do país, mas morando em um bairro extremo, resultou este fato em  uma grande capacidade de lidar com as diferenças étnicas, culturais e sociais.  Sempre pude lidar com todos sem maior diferenciação, e todas as caras e lugares são  por fim a cara da cidade, que se transforma a cada instante num ritmo violento,  neurótico e rebelde a leis de zoneamento, planos diretores e tantas tentativas  desesperadas de se ordenar aquilo que, sendo atento a tudo, classifico como "sobreposição de sobreposições".  
    Sempre  poético, sempre musical e sonhador, por sinal muito romântico, associei  na  adolescência o cenário das vitrines do centro em dia nublado, aos meus  devaneios, meus diversos amores platônicos, tramando deste modo um curta-metragem de mãos dadas com a namorada tão fugaz e efêmera quanto a  certeza de que daria certo; tive minha situação sentimental definida aos vinte e  três anos  e hoje casado há dezoito anos, acabei por transmutar meus sonhos numa realidade intensa de amor, trabalho  e - o  que classifico como raro privilégio - muita amizade e cumplicidade, o  que vem de uma "química" que só pode existir quando se constrói um  relacionamento, quando se entende que, este é um caminho efetivo para a  iluminação, o que é o alvo maior de todo o ser, quer ele seja consciente disso  ou não, o importante é que seja uma escolha consciente. Tenho esse objetivo  como o maior desta vida, e isso é inevitável, e ao mesmo tempo não tenho como fórmula, por assim dizer, como regra absoluta, pois acredito que na natureza  humana não existe nada simples   - tudo é diverso e complexo, mormente tendências e pontos  de vista.   Gosto, como já foi dito, de lidar com gente e nisso não tenho preferência, ou critério; lidar com gente é entender que todo indivíduo  é luz e sombra, é não ter ninguém acima das condições normais do ser humano;  tanto eu próprio como todos dão aquilo que têm, agem dentro do que pensam ser  correto, crêem naquilo que lhes conforta e os faz ser melhores. Portanto,  acredito nas pessoas sem me entregar cegamente a vínculos desnecessários que só  servem no fim para gerar discordâncias, conflitos e decepções. É a idéia do  viver e deixar viver, sem dependências, expectativas ou entregas - apenas uma  saudável troca de experiências, o que no fim é a única forma de crescimento: a  vida de relação.   Tenho uma leitura das cidades fortemente ligada às pessoas, e sinto que a maior ou menor desordem nas cidades e nas casas - até mesmo a falta de ordem - é  conseqüência diretamente proporcional ao estado de alma das pessoas, seus  valores, prioridades, enfim a exteriorização de seu interior, tanto individual  como coletivo. Isso, em vez de suscitar uma postura crítica, principalmente  hoje em dia, causa em meu espírito profunda empatia com tudo e todos uma vez  que sinto que tudo é interligado, interdependente; "Uma estrela que explode  há  milhões de anos-luz da terra, influi na vida de cada ser, cada coisa que aqui  existe" - penso. Isto quer dizer que ou todos se ocupam de mudar suas crenças e  valores, ou as coisas continuarão aí por mais tempo, e nós continuaremos a sofrer o que sofremos e a lamentar como lamentamos; nada é permanente, mas quanto tempo isso dura, depende de cada um de nós. 

CONTRIÇÃO



"Às vezes, certo tom de tristeza toma sutilmente a minha alma; sei que, embora não pareça, esta tristeza  é um sinal de que estou no caminho certo de minha busca da verdade, a minha verdade, a minha iluminação".